António Aleixo


Peço às altas competências
perdão, porque mal sei ler,
p'ra aquelas deficiências
que os meus versos possam ter.

a salvo


quando me julgava a salvo
um tiro de ausência
atingiu-me

Teresa Borges do Canto - Distócia


Nunca pensei que as flores pudessem morrer de parto.
Hoje posso garantir que ajudei uma flor a nascer.
Não é grande nem forte nem exuberante,
Mas é em tudo idêntica às outras flores;
Estava presa dentro de uma cápsula ressequida
Quando a libertei.

      A Sra. Teresa viveu um momento sacro, o ser parteira de flores. 

Kate Rusby & Nic Jones - The Lark




Out in the field where the lark it flies
Over the earth where my heart it lies
Oh how it sings where the west wind blows
Out in this field where no-one goes.

 Oh how I'm cold will you let me in
 If you could hear me speak, where would I begin
 Time it is past and now I roam free
 Is it wrong to wish you still need me.

Out in the field where the lark it sings
There I was waiting for all love brings
There I stood and there I fell
Out in the field that I know well.

Out in the field where the lark resides
Here I'll remain where my heart can hide
Only the lark and the west wind know
I'm in this field where no-one goes.

      Quando a canção sai da sala de espectáculo e é interpretada nos campos, pomares, jardins ou florestas ganha mais autenticidade. Neste caso os versos falam do canto de uma cotovia, do vento e da liberdade. 

Maurice Denis



Cupid in his flight was struck by the beauty of Psyche.

Laura Amélia Damous - Ânfora


Nem percebeste a leve brisa.
Eu
que sou tormenta
fúria e vento.
Só tu
cabes em mim.

Margareta Ekström - Para uso diário


Se a vida não fosse tão insubstituível
talvez ousássemos utilizá-la.
Porém arrumamo-la na prateleira
como um vistoso par de sapatos
que é bonito de se ver
mas não para uso diário.
Assim, continuamos por aí sentados
numa expectativa descalça.

Octavio Paz - Certeza


Se é real a luz branca
desta lâmpada, real
a mão que escreve, são reais
os olhos que olham o escrito?

Duma palavra à outra
o que digo desvanece-se.
Sei que estou vivo
entre dois parênteses.

Gonçalo M. Tavares - A Vida é Ilegível


A vida, meu caro, é ilegível. Acontece
e desaparece. Não há inteligência
que a descodifique: vem em linguagem-nada,
surge no corpo como surge o dia, e como
se dia e vida individual fossem materiais paralelos.
A vida não surge em prosa
nem em poesia — e a existência não fala
inglês, apesar de tudo. A natureza dos acontecimentos
resiste às invasões matreiras da publicidade e
dos filmes. Já não é mau.

Erutan - Itsumo Nando Demo




A língua japonesa aqui limpa, quase pura.

Aqui estão as mãos.
São os mais belos sinais da terra.
Os anjos nascem aqui:
frescos, matinais, quase de orvalho,
de coração alegre e povoado.

Ponho nelas a minha boca,
respiro o sangue, o seu rumor branco,
aqueço-as por dentro, abandonadas
nas minhas, as pequenas mãos do mundo.

Alguns pensam que são as mãos de deus
— eu sei que são as mãos de um homem,
trémulas barcaças onde a água,
a tristeza e as quatro estações
penetram, indiferentemente.
Não lhes toquem: são amor e bondade.
Mais ainda: cheiram a madressilva.
São o primeiro homem, a primeira mulher.
E amanhece.

A Vida

















Quando a beleza se faz carne.
Imagens Pinterest

Roger Wolfe - Tropeço cada dia


Conheço todos os argumentos.
Conheço todos os contra-argumentos.
Conheço a futilidade da nossa vida.
Conheço a fome, a sede, a ânsia.
A alegria.
O amor? Também.
O desamor. A felicidade e a desgraça.
Tropeço cada dia na mesma pedra.
Tropeço cada dia na mesma pedra.
Tropeço cada dia na mesma pedra.
No fim já não se sabe
se há pedra ou se tropeçamos
por hábito, por amor à arte,
porque não somos capazes de outra coisa.
Porque o homem é um animal que tropeça.
Porque não somos capazes de outra coisa.

Justyna Kopania - Envelhecer





Deixar os barcos, as redes no cais. Até o peixe.

Daniel Faria - O cerco


Um pássaro em queda mesmo
quando é proporcional à pedra
que tomba do muro nunca
alcança a mesma coloração do musgo
– Já nem sequer falo do tempo
em que mudam a pena

Para fazeres ideia pensa
como perde um homem a idade
de encontrar os ninhos

Retém na memória: o homem cai. Desloca-se
o pássaro para que as estações não mudem

É dessa rotação que o muro
pode cercar-se sem ninguém o construir. O cerco
do voo é a pedra da idade

Para fazeres uma ideia pensa
em engoli-la.

Christopher Okigbo - A árvore


A raiz atingiu
um veio de pedra.

A seiva seca no caule
em ascensão:
O sangue seca na veia
como seiva.

Tradução de Ricardo Domeneck

Moira Smiley - Dressed in Yellow




1.I met my father all dressed in yellow
Take heed take warning, daughter
And the light was soft and strange around him
There are many things to know.

2.Hello father, how can you be here?
Take heed take warning, daughter
You have been gone for these 3 years
There are many things to know.

3.And such sweetness in your smile
Take heed take warning, daughter
Do you bring good news from the dead?
There are many things to know

4.Oh father oh father, I could not trust you
I had no warning, father
You anger closed the door of my young heart
There are many things to know

5.But as I dream you in sunny yellow
Take heed take warning, daughter
I know my heart can open wider
There are many things to know

I look across at my young father, 
unsure of what to do or say
My fear tells me I must ignore him. 
My loves & labors take me away.
But as I close my cloak of labor, 
I catch his eye once more in case
And there is laughter coming through me. 
And there is laughter on his face.

6.Oh he looked up, yes, he laughed with me
I need no warning, father
And in that laughter, sweet forgiveness
That is what I came to know.

      The father's advices still continue to be heard after his death. 

Guy Laramee - Book Carvings
















Beauty is everywhere.

Mia Couto - Fui Sabendo de Mim


Fui sabendo de mim
por aquilo que perdia

pedaços que saíram de mim
com o mistério de serem poucos
e valerem só quando os perdia

fui ficando
por umbrais
aquém do passo
que nunca ousei

eu vi
a árvore morta
e soube que mentia

Lars Forssell - Tudo o que aprendi


Eu queria escrever mas
porque é que se tem de organizar tudo
tão exactamente?

As coisas não são tão rigorosas

A estrada do tinteiro à página
é comprida demais e além disso
é preciso segurar a pena de uma maneira especial
como eu fazia quando tinha seis anos e
a lingua pousava no – era o canto esquerdo
da boca? E eu aprendi tudo o que
quer que foi
que eu aprendi

Agora aprendi algo diferente

Despejo o tinteiro no papel
Dá uma imagem do que eu quero dizer
Dá uma imagem perfeitamente clara
de tudo o que aprendi.

Tradução de Vasco Graça Moura

Filippo Palizzi - O Outro lado



Olhar o que é novo só com um pé.

Hans Børli - No ar


De todo, não: não é difícil escrever poesia –
é impossível.
De contrário, pensas que teria persistido nisto
por mais de 40 anos?

Tenta, tenta só
pôr asas numa pedra, tenta
seguir o rasto de um pássaro
no ar.

José Bento - Outra vez


Abre esse livro, lê outra vez o poema
que tantas vezes leste:
como tu, não é o que foi ontem,
o que perdeste há meses.

A letra que gravou a pulsação
que sustenta essa página
pede que a humanes e ressurjas
com teu sangue a palavra.

Tulia - Jeszcze Cię Nie Ma



nie ma cię
nigdy nie było
nie wiem jak cię wymyśleć dzisiaj mam
by się nam tak ułożyło
jak piękne słowa co znaczą miłość.

nie ma cię
dla mnie cię nie ma
nie wiem jak cię przekonać dzisiaj mam
byś się stał
niebem i ziemią
powietrzem, wodą, gwiazdą, przestrzenią
wszystkim czego chce będziesz ty.

nie ma cię
tęsknie za tobą
puste miejsce mam w sercu, tylko myśl
zacznie się
będę na nowo

nie będę listów pisała bogom
czego tylko chce dasz mi ty
nie będę listów pisała bogom
wszystkim, czego chcę będziesz ty

      Outra melodia polaca. Pelo Google Tradutor descobre-se que os versos dizem o seguinte: "Tu não estás aí e eu não sei como chegar a ti. Apenas sei que palavras bonitas podem significar amor e com esse amor vem a ausência de solidão. Escrevo. E tu te tornarias céu e terra, ar, água, estrela e espaço. Eu tenho um espaço em branco no meu coração e não vou escrever cartas para os deuses o que tu quiseres, tu me o darás". Muito belo.

Tea time


















A home without tea is just a house.

Arquivo do blogue